Archive for ‘Livros, revistas, artigos’

18 Outubro, 2012

LANÇAMENTO DO LIVRO DE JOSÉ MANUEL FERNANDES, ERA UMA VEZ A REVOLUÇÃO (LISBOA, 29 DE OUTUBRO DE 2012)

“Tinha 15 anos quando o assassinato de um estudante, Ribeiro Santos, catalisou os sentimentos difusos de revolta que eu já sentia e me levou a tornar-me primeiro num activista das associações de estudantes, logo a seguir num militante radical. Durante os anos que se seguiram dei o melhor de mim, e praticamente todo o meu tempo, à causa da revolução social e política. Até que, ao entrar na maioridade, comecei a ter dúvidas. Depois das dúvidas, veio a refutação das falsas certezas, e à passagem dos 23 anos já compreendera a fatal ilusão em que me deixara envolver. Libertei-me então da ratoeira ideológica do marxismo e dessa sua declinação extrema, o maoismo. Este livro conta a história desses oito anos. Ou, para ser mais exacto, as minhas memórias do que como vivi esse período. São naturalmente memórias pessoais, informadas pelo meu próprio olhar e apenas por ele.”

Anúncios
8 Junho, 2012

NOVO LIVRO DE JOSÉ GOTOVITCH SOBRE O COMUNISMO BELGA

FONTE: CArCoB

 Du communisme et des communistes en Belgique : approches critiques

Recueil d’articles,

par José GOTOVITCH

Préface de Pieter LAGROU, professeur ULB

Bruxelles : ADEN Éditions
ISBN: 9782805920240
436 pages
14 x 21 cm

Prix spécial CArCoB : 23 € (frais de port n.c.)

 José Gotovitch, né en 1940, professeur honoraire à l’Université libre de Bruxelles, a créé et dirigé de 1988 à 2005, à l’Institut de sociologie de l’ULB, le Centre d’histoire et de sociologie du communisme, et fut le directeur du CEGES pendant la même période. À la tête d’une équipe internationale, il a mené à bien le Dictionnaire biographique du Komintern (Belgique, France, Luxembourg, Suisse), Éditions de l’Atelier, 2001, fruit de multiples séjours de recherches dans les archives du Komintern à Moscou. Il préside le Conseil scientifique du Centre des Archives communistes en Belgique (CArCoB).

Les communistes en Belgique ont joué, jusqu’en 1989, un rôle intermittent mais continu, par leur action positive, mais aussi par la pression virtuelle que leur existence induisait tant au sein de l’appareil d’État que chez leur « plus proche ennemi », la social-démocratie. Bien entendu, cette persistance doit beaucoup à leur nature représentative d’un mouvement mondial et au soutien d’une direction internationale incarnée successivement par la IIIe Internationale et l’URSS.

 Mais il ne manqua jamais de militants qui engagèrent leur vie dans ce chemin sans valorisation autre que leurs convictions, sans récompenses autres qu’une mise en danger de leur avenir, de leur bien-être, de leurs proches, et parfois de leur vie. Comprendre ce qui pouvait les motiver, comprendre la force de cet engagement, malgré tout, à travers tout, a constitué l’un des moteurs de mes recherches sur le communisme belge et principalement sur les communistes.

TABLE DES MATIÈRES

read more »

2 Junho, 2012

NOVO LIVRO SOBRE O COMUNISMO BRITÂNICO

After The Party: Reflections on life since the CPGB

Edited by Andy Croft

Twenty years after the demise of the Communist Party of Great Britain, eight former members, all of whom who stayed in the party until the bitter end, reflect here on some of the personal, political and cultural changes of the last twenty years. The paths of Dave Cope, Andy Croft, Alistair Findlay, Stuart Hill, Kate Hudson, Andy Pearmain, Mark Perryman and Lorna Reith have followed very different political trajectories since 1991 – taking them into the Green Party, the Labour Party, the CPB, SLP, Respect and no party at all. But most have remained politically active.

Combining personal and political history, analysis and autobiography, anecdote and argument, the contributors consider the consequences of the CP’s dissolution for British political and intellectual life.

Contents

read more »

2 Junho, 2012

NOVO NÚMERO DE TWENTIETH CENTURY COMMUNISM

Twentieth Century Communism

a jCoverournal of international history

Editors Richard Cross, Norry LaPorte, Kevin Morgan, Matthew Worley

Issue 4

Communism and youth

This issue looks at communism through the prism of its relationship to young people. Contributors discuss young members and youth sections within the communist movement, the youth policies of communist parties and governments, and relationships between the generations both within families and in the public arena.

Contents

read more »

9 Maio, 2012

ARTUR COIMBRA – APRESENTAÇÃO DA 3ª EDIÇÃO DE “DESAFECTOS AO ESTADO NOVO – EPISÓDIOS DA RESISTÊNCIA AO FASCISMO EM FAFE”

FONTE: Sala de Visitas do Minho

Desafectos ao Estado Novo (3ª edição) – Apresentado esta sexta-feira na Biblioteca Municipal de Faf

 
A minha obra Desafectos ao Estado Novo – Episódios da Resistência ao Fascismo em Fafe, na sua 3ª edição, revista e aumentada, vai ser apresentada ao público esta sexta-feira, 11 de Maio, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal de Fafe.
Inicialmente publicada em 2003, por iniciativa da Junta de Freguesia de Fafe e com segunda edição no ano imediato, a obra Desafectos ao Estado Novo – Episódios da Resistência ao Fascismo em Fafe inclui nesta edição alguns acrescentos a nível de texto e de imagem, que a enriquecem relativamente às anteriores.
Para o autor, não deixa de constituir uma enorme alegria, porquanto é o seu primeiro livro a atingir este patamar, fruto certamente da procura e da divulgação e expansão que tem tido ao longo dos últimos anos, não apenas em Fafe, mas um pouco pelo país, para onde foi sendo enviada pela autarquia. Honra-me de sobremaneira ter este livro referenciado na bibliografia de obras de ilustres investigadores do Portugal do século XX, como José Pacheco Pereira e Irene Flunser Pimentel (Prémio Pessoa 2007 e autora de obras fundamentais sobre o Estado Novo, de que é paradigma a gigantesca A História da PIDE, desse mesmo ano).
O objectivo fundamental da obra é relatar alguns episódios do que foi a resistência ao fascismo em Fafe, entre 1926 e 1974, em função das fontes documentais e dos testemunhos orais que foi possível reunir, num encontro promovido pelo autor com dezenas de antifascistas há duas décadas.
Com a devida contextualização como base no ambiente que se vivia a nível nacional e que foi recolhido na consulta de obras de referência historiográfica, foram passados em revista, cronologicamente e com a maior objectividade possível, o que foram esses anos, a partir das primeiras manifestações da resistência à Ditadura Militar, em Fevereiro de 1927, em que participaram militares fafenses, como o Major Miguel Ferreira, António Saldanha e o Tenente José Campos de Carvalho, até às últimas eleições do regime fascista, realizadas em 1969, sob a vigência de Marcelo Caetano.
Nos anos 30, destacam-se as primeiras levas de presos políticos em Fafe, sobretudo a partir de 1936, avultando ainda o combate político do jornalista José Manuel Teixeira e Castro para prosseguir o seu trabalho contra a censura e em defesa dos seus jornais.
Já na década seguinte, aborda-se a problemática do MUDJuvenil em Fafe, fala-se da famosa luta pelo pão, do encerramento político do Externato de Fafe na Rua Montenegro (1948), após duas décadas de funcionamento e das manifestações de apoio à candidatura do General Norton de Matos à presidência da República (1949). Lugar ainda para a evocação de uma experiência deveras interessante que foi a de uma biblioteca clandestina e de uma cooperativa de pedreiros nos finais dos anos 40.
Nos anos 50, avulta o assassínio pela PIDE do fafense Joaquim Lemos Oliveira, “Repas”, a vítima maior do regime deposto em 25 de Abril. Fala-se ainda da grande homenagem distrital ao Major Miguel Ferreira, das eleições presidenciais de 1958, em que participou o General Humberto Delgado e, finalmente, do documento cujo primeiro subscritor era o Major Miguel Ferreira e que afrontava directamente Salazar, desafiando-o o demitir-se.
Nos anos 60/70, já no declínio do regime, avultam a guerra colonial, a emigração e as eleições de 1969.
Esta obra tem ainda lugar para a evocação do lápis azul da censura e os seus reflexos no jornal local O Desforço, bem como para a recordação de diversos rostos que foram tecendo a longa e corajosa teia da resistência ao fascismo em Fafe.
Uma palavra ainda para os míticos espaços onde a oposição mais se exerceu, como a Fábrica do Ferro, o Café Avenida, o Teatro-Cinema e a casa do Major Miguel Ferreira, em Antime.
Finalmente, alguns textos sobre a resistência e a emergência do 25 de Abril, no país, como em Fafe.
A obra inclui ainda testemunhos, depoimentos e artigos do Professor Emídio Guerreiro, Francisco Oliveira Alves, António Teixeira e Castro, Parcídio Summavielle, Domingos Gonçalves, Paula Nogueira e João Baptista Alves da Mota.
A obra é desde o início a homenagem do autor, como assumido “filho de Abril”, àqueles fafenses de outrora que sacrificaram as suas vidas, os seus bens, a sua família, os seus trabalhos, a sua liberdade, ao serviço do bem comum, de um país melhor e mais respirável e que culminaria, luminosamente, no dia 25 de Abril de 1974, com a restauração da liberdade e da democracia em Portugal!                                              
                                

Publicada por em Terça-feira, Maio 08, 2012

9 Maio, 2012

NOVO LIVRO SOBRE A TRANSIÇÃO ESPANHOLA: EL PCE Y EL PSOE EN LA TRANSICIÓN. LA EVOLUCIÓN IDEOLÓGICA DE LA IZQUIERDA DURANTE EL PROCESO DE CAMBIO POLÍTICO, Madrid, Ed. Siglo XXI, 2012.

30 Março, 2012

HISTORY WORKSHOP JOURNAL: Celia Hughes – Young Socialist Men in 1960s Britain: Subjectivity and Sociability (Resumo))

This article examines the political, social and psychological experiences of a group of young working-class men who in the early-to-mid 1960s became active members in branches of the Labour Party Young Socialists. Concentrated in London’s East End, these branches had become increasingly open to the politics of International Socialism, a tiny libertarian Trotskyist group that provided these young men with a political education and a social circle, and propelled them into a bourgeoning activist network. Activism in their groups occurred at a crucial moment of personal and political transition – social maturation from child to adult intersected with the formation of a new and distinctive extra-parliamentary culture on the British left that came to full fruition around Britain’s anti-war movement, the Vietnam Solidarity Campaign. The formation of this collection of inner lives occurred simultaneously in the context of real social and economic shifts in the men’s local landscapes as well as the wider international Cold War climate. Drawing upon oral history interviews with former Young Socialist members, this article explores the cultural and social expression of these working-class men, looking at subjectivity and gender to understand how their sub-culture provided for childhood structures of feeling and early class identity and to consider what meaning they derived from active socialist involvement. Against the historiography of sixties youthful protest politics, the men’s testimonies show that experiences of inner transformation were not exclusive to enclaves of Britain’s university students. The oral history interview provided a route through which to open up the subjective experience of early Trotskyist involvement and for the men to claim a valid space in the individual and collective memories of sixties political activism.

24 Março, 2012

LENINIANA PORTUGUESA

24 Março, 2012

SOBRE PAULO FREIRE

FONTE: HREV

Andrew J. Kirkendall.  Paulo Freire and the Cold War Politics of Literacy,  Chapel Hill  University of North Carolina Press, 2010.

Reviewed by Marian B. Mollin (Virginia Tech)
Published on H-LatAm (March, 2012)
Commissioned by Dennis R. Hidalgo

Democracy, Justice, and the History of Paulo Freire’s World

read more »

12 Março, 2012

FAUSTINO BRETES (1902-1986) – DADOS BIOGRÁFICOS NAS PUBLICAÇÕES DE TORRES NOVAS

Encontram-se dispersos em várias publicações de e sobre Torres Novas, sua terra natal, vários dados biográficos sobre Faustino Bretes, operário, sindicalista revolucionário, fundador do PCP, revolucionário do “reviralho” e activo militante associativo e colaborador da imprensa regional. Para além de uma pequena biografia, que acompanha o seu texto biográfico sobre a actriz Virginia, existe outra no livro de Joaquim Rodrigues Bicho, Torrejanos de Vulto, Câmara Municipal, 1999.  Há igualmente uma biografia de Bretes em António Maria Lopes Santos, “As figuras da República: biografias”, Nova Augusta, Número especial sobre a República, 2010.

12 Março, 2012

APRESENTAÇÃO NO MONTIJO DAS MEMÓRIAS DE EDMUNDO PEDRO (16 DE MARÇO DE 2012)

5 Março, 2012

COMUNISMO E MOVIMENTO COMUNISTA INTERNACIONAL – NOVOS ARTIGOS

FONTE Laboratorium

Yulia Gradskova,  “Internationalist Education” and Solidarity with Chile and Latin America in the Late Soviet Period—Between Geopolitics, Protest, and Self-realization? “, Laboratorium., 2011. Vol. 3, no. 3

Síntese:

read more »

3 Março, 2012

LIVRO DE JOSÉ HIPÓLITO SANTOS SOBRE A REVOLTA DE BEJA

FONTE: José Hipólito Santos

3 Março, 2012

BIBLIOGRAFIA SOBRE O COMUNISMO PORTUGUÊS E A OPOSIÇÃO À DITADURA (2012)

EM ACTUALIZAÇÃO

Para iniciar o processo de actualização das bibliografias (que podem ser consultadas na versão anterior dos ESTUDOS com entradas até 2009) passam a ser registadas novas entradas para o ano actual, e depois será feita um actualização retrospectiva. Mantém-se em parte a estrutura temática das entradas, embora se introduzam algumas alterações de modo a organizar melhor a sua  sistematização, em particular para melhor integrar as referências bibliográficas aos movimentos, personalidades e eventos relativos á oposição à ditadura em geral. A estrutura alterada que vamos utilizar passa a fazer parte do conjunto da bibliografia, neste caso anual. A prazo as entradas anuais passarão a ser integradas na estrutura temática global.

1 – BIBLIOGRAFIAS

2- LIVROS DE REFERÊNCIA, DICIONÁRIOS, ANUÁRIOS, ESTATÍSTICAS

3 – BIOGRAFIAS

CARVALHO, JOAQUIM BARRADAS DE

Tiago Brandão, “Migração cientifica no quadro do Estado Novo. O caso de Joaquim Barradas de Carvalho”, Seara Nova, Janeiro de 2012.

COSTA, HELDER

“O dramaturgo das grandes figuras da cultura e da história”, Autores, 2012.

LEAL, AMÉRICO

“Nos 90 anos de Américo Leal”, Alentejo Popular, 26 de Janeiro de 2012.

SANTOS, NUNO RODRIGUES DOS

Maria Emília Brederode Santos, “Nuno Rodrigues dos Santos. O republicano crítico”; Seara Nova, Janeiro de 2012.

4 – COLECÇÕES DE DOCUMENTOS

5 – OBRAS SOBRE VÁRIOS PARTIDOS  (INCLUINDO O PCP)

6- OBRAS GENÉRICAS SOBRE O PCP E A OPOSIÇÃO

7 – OBRAS SOBRE UM PERÍODO:

7.1 – HISTÓRIA DO SOCIALISMO E DO MARXISMO EM PORTUGAL

Luís Carvalho, “A primeira biografia portuguesa de Karl Marx”, Região de Rio Maior, 24 de Fevereiro de 2012.

[Sobre a biografia de Emílio Costa.]

7. 2 – “SOVIETISMO” E “MAXIMALISMO” (1918 – 1921)

7. 4 – O PCP NA I REPÚBLICA (1921-1926)

7.3 – TRANSIÇÃO PARA O ESTADO NOVO (1926-1934)

7.5 – CLANDESTINIDADE – ANOS TRINTA (1935-1940)

7.6 – CLANDESTINIDADE – DA GUERRA AOS ANOS CINQUENTA (1940-1960)

7.7 – CLANDESTINIDADE – ANOS SESSENTA ATÉ À QUEDA DE SALAZAR (1960-1968)

7.8  – CLANDESTINIDADE – “MARCELISMO” (1968-1974)

7.9 – 25 DE ABRIL DE 1974

8 – OBRAS DE BASE GEOGRÁFICA

9- ORGANIZAÇÕES DO PCP

9.1 – JUVENTUDES COMUNISTAS

9.x – PARTICIPARÃO DO PCP NOUTRAS ORGANIZAÇÕES

10 – CLANDESTINIDADE / ORGANIZAÇÃO/ MEMBROS / ORGANISMOS / FUNDOS / FINANCIAMENTOS

11- QUESTÕES INTERNAS / POLÉMICAS/ PRODUÇÃO TEÓRICA

12 – CAMPONESES / REFORMA AGRÁRIA

13 – SINDICATOS

14 – JUVENTUDE

15- MULHERES

16 – QUESTÃO MILITAR

17- COLÓNIAS E COLONIALISMO

18- ARTE E LITERATURA / INTELECTUAIS

Luís Miguel Queirós, “O neo-realismo revisitado”, Público – Suplemento P2, 10 de Fevereiro de 2012.

19 – IGREJA / RELIGIÃO

20. MENTALIDADE / VIDA PESSOAL

Susana Moreira Marques, “Amor em tempos de luta”, Pública, 12 de Fevereiro de 2012.

[Depoimentos biográficos de Manuel Pedro, Faustina Barradas, José Carlos Almeida, Domicília Costa, Álvaro Pato, Teodósia Gregório, Maria Brito, Raul Costa,  Raimundo Narciso, Maria Machado sobre a vida afectiva nas condições de clandestinidade.]

21- RELAÇÕES INTERNACIONAIS

22 – REPRESSÃO / PRISÕES

23 – IMPRENSA / AGITAÇÃO / PROPAGANDA

SEARA NOVA

Paulo Archer de Carvalho, “Três notas sobre a modernidade da Seara Nova (1920-30)”, Seara Nova, Janeiro de 2012.

“Conferência. O Projecto da Seara Nova”, Seara Nova, Janeiro de 2012.

24 – OUTROS MOVIMENTOS OPOSICIONISTAS, ANARQUISTAS, SOCIALISTAS, RADICAIS, EXTREMISTAS E COMUNISTAS

25 – DIVERSOS

24 Fevereiro, 2012

NOVOS LIVROS; JAMIL HASANLI, STALIN AND THE TURKISH CRISIS OF THE COLD WAR, 1945-1953

FONTE: Cold War International History Project

Jamil Hasanli, former Wilson Center scholar and professor of history at Baku State University  explore the ups and downs of Soviet-Turkish relations during and immediately after World War II. Hasanli draws on declassified archive documents from the United States, Russia, Armenia, Georgia, Turkey, and Azerbaijan to recreate a picture of the time when the ‘Turkish crisis’ of the Cold War broke out explaining why and how the friendly relations between the USSR and Turkey escalated into enmity, led to the increased confrontation between these two countries, and ended up with Turkey’s entry into NATO. Hasanli uses recently-released Soviet archive documents to shed light on some dark points of the Cold War era and the relations between the Soviets and the West.

17 Fevereiro, 2012

ARTIGOS RECENTES SOBRE O COMUNISMO NOS EUA

EM ACTUALIZAÇÃO

Ron Capshaw, “Party Line. Arthur Miller wrote communist theater criticism under the pseudonym Matt Wayne. “, Tablet, 12 de Janeiro de 2012.

D. Dave Eesha / Jose A. DelReal, “M Investigates: The Kremlin on the Charles”, Harvard Crimson, 16 de Fevereiro de2012.

[Comunistas na Universidade de Harvard.]

Richard Goldstein, “Bill Mardo, Writer Who Pushed Baseball to Integrate, Dies at 88”, New York Times, 24 de Janeiro de 2012.

[Obituário do colunista de desporto do jornal comunista Daily Worker e da sua luta pela integração no basebol.]

John Meroney, Left in the Past, Los Angeles Times Magazine, Fevereiro de 2012.

[Relações entre o passado “liberal” de Reagan e o seu anti-comunismo.]