Archive for Fevereiro 18th, 2012

18 Fevereiro, 2012

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO 25 DE ABRIL – DEBATES: O SEGUNDO SÉCULO XX (COIMBRA, FEVEREIRO – JUNHO 2012)

FONTE: CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO 25 DE ABRIL



23 de fevereiroPára-arranca. História e amnésia no movimento estudantil. – Participação de Guya Accornero e Miguel Cardina; moderação de Rui Bebiano

26 de abrilCasas p’ró povo. O Projeto SAAL ontem e agora. – Participação de Alexandre Alves Costa e José António Bandeirinha; moderação de Natércia Coimbra

28 de junhoIr à Guerra. Memória e pós-memória da Guerra Colonial. – Participação de Margarida Calafate Ribeiro e Bruno Sena Martins; moderação de João Figueira

Imagem do Cartaz
Contacto
Isabel Campante
918 542 070

isabelcampante@ideiasconcertadas.pt

O Segundo Século Vinteé um ciclo de debates e exposições relacionado com temas da História recente de Portugal, organizado pelo Centro de Documentação 25 de Abril (CD25A). A iniciativa, que começa no próximo dia 23 de fevereiro e é de entrada livre, tem periodicidade bimensal, com as sessões sempre a uma quinta-feira, às 18 horas, no Café Teatro do TAGV.A primeira série vai abordar a guerra colonial, a luta pela habitação e o movimento estudantil. Uma das particularidades de O Segundo Século Vinte, cuja cronologia começa na década de 60, é a possibilidade do público, além de assistir e participar na conversa com os dois convidados da sessão, ter acesso a documentos do acervo do CD25A relacionados com o tema, que estarão expostos no Teatro.A primeira sessão, marcada para 23 de fevereiro e intitulada Pára-arranca. História e amnésia no movimento estudantil, é uma conversa com os investigadores Guya Accornero e Miguel Cardina, moderada por Rui Bebiano. A história do movimento estudantil vive ciclicamente de experiências, esquecimentos e recomeços. A memória e a atitude de cada geração raramente passa de forma incólume para a seguinte. O objetivo desta sessão é analisar as condições e os motivos que fazem com que esta situação se repita constantemente, prejudicando muitas vezes a eficácia reivindicativa.

O Centro de Documentação 25 de Abril, criado pela Reitoria da Universidade de Coimbra em Dezembro de 1984, visa recuperar, organizar e pôr à disposição dos investigadores um acervo documental, que estava disperso pelo país e mesmo no estrangeiro, sobre a transição democrática portuguesa: o 25 de Abril de 1974, os acontecimentos preparatórios e as suas principais consequências.

Guya Accornero é doutorada em Sociologia Histórica pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa com uma tese titulada Efervescência Estudantil. Estudantes, acção contenciosa e processo político no final do Estado Novo, atualmente em processo de publicação. É investigadora de pós-doutoramento em Ciência Política no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE) e no Centre de Recherche sur l’Action Politique da Universidade de Lausana. A sua investigação incide sobretudo nos movimentos sociais, carreiras militantes, mobilização e desmobilização política, repressão em vários regimes políticos e em processos de transição. Tem artigos e capítulos de livros publicados ou no prelo sobre estas temáticas e é co-editora, com Alfonso Botti, da obra monográfica Il Portogallo e la transizione alla democrazia(número especial de Storia e Problemi Contemporanei Clueb, 2010).

Miguel Cardina é doutorado em História pela Universidade de Coimbra, investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e pós-doutorando do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Trabalha sobre o radicalismo político nas décadas de 1960 e 1970 e as dinâmicas entre História, memória e testemunho oral. Publicou Margem de Certa Maneira. O maoismo em Portugal (2011, Tinta-da-China, vencedor em 2011 do Prémio Vitor de Sá em História Contemporânea), A Esquerda Radical (2010, Angelus Novus) e A Tradição da Contestação. Resistência Estudantil em Coimbra no Marcelismo (2008, Angelus Novus).

O Segundo Século Vinte é uma iniciativa do Centro de Documentação 25 de Abril em parceria com o Teatro Académico de Gil Vicente e com apoio da Ideias Concertadas.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO 25 DE ABRIL

Rua Augusta, 25 r/c Dtº. 3000 COIMBRA

Telefone:+351 239 483 036

Fax:+351 239 482 710

E-mail: ucd25a@ci.uc.pt

http://www1.ci.uc.pt/cd25a/wikka.php?wakka=HomePage

Horário de funcionamento: das 9.30h às 12.30h e das 14.30h às 17.30h


IDEIASCONCERTADAS
Av. Emídio Navarro, 93, 3º B, 3000-151 Coimbra
(+351) 239 838 015 _ info@ideiasconcertadas.pt
Anúncios
18 Fevereiro, 2012

COLÓQUIO: HISTÓRIA, MEMÓRIA E VIOLÊNCIA NO SÉCULO XX (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 24 e 25 de Fevereiro de 2012 )

FONTE: José Neves.

HISTÓRIA, MEMÓRIA E VIOLÊNCIA NO SÉCULO XX

24 e 25 de Fevereiro de 2012
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa
Sala Multiusos 3, Piso 4, Edifício I&D
INSTITUTO DE HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA
Linha de Investigação Poder, Cultura & Ideias
Coordenação de José Neves, Luís Trindade, Pedro Martins e Tiago Avó
Apoios: FCT | Institut Français | Instituto Cervantes | FCSH-UNL
com Javier Rodrigo Sanchez, António Monteiro Cardoso, Miguel Cardina, 
Fernando Ampudia de Haro, Tiago Avó, Luís Trindade, Fernando Rosas, 
Enzo Traverso, Maria Benedita-Basto, Manuela Ribeiro Sanches, 
Elisa Lopes da Silva e Manuel Deniz Silva. 
PROGRAMA

24 de Fevereiro
(sexta-feira)
10h15, abertura
10h30 | ESPANHA, VIOLÊNCIA E FASCISMO
Javier Rodrigo Sánchez (Universidad Autonoma de Barcelona)
A este lado del bisturí. Violencia y fascistización en la España sublevada.

11h30 | O SÉCULO XIX PORTUGUÊS

António Monteiro Cardoso (ESCS-IPL, CEHC/ISCTE-IUL)
Violência política em Portugal no século XIX. Memória e História.
15h00 | O ESTADO NOVO
Miguel Cardina (CES-UC e IHC-UNL)
Violência, testemunho e sociedade. Incómodos e silêncios em torno da memória da ditadura.
Fernando Ampudia de Haro (IHC-UNL)
Branquear e revisar: historiografia e política à volta do Estado Novo.
17h00 | A REVOLUÇÃO DE ABRIL
Tiago Avó (Birkbeck College, IHC-UNL)
O lugar do PREC – comemorativismo e memória mediática.
Luís Trindade (Birkbeck College, IHC-UNL)
A construção da memória em torno do 25 de Abril de 1974.
——
25 de Fevereiro
(sábado)
10h30 | O MUNDO DO SÉCULO XX
Fernando Rosas (FCSH/IHC-UNL)
Memória da violência e violência da memória.
Enzo Traverso (Université Jules Vernes Picardie)
L’âge de la Violence.
15h00 | IMPÉRIO E ANTICOLONIALISMO
Maria-Benedita Basto (Université Paris IV)
A política da História: dinâmicas emotivas das transmemórias na escrita do passado no presente em espaços (ex)imperiais.
Manuela Ribeiro Sanches (FLUL-CEC)
Nação, cultura e violência: (trans)nacionalismos na obra de Frantz Fanon e Amílcar Cabral.
E ÀS 18H30, NA CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO, À MOURARIA, SERÁ LANÇADO O LIVRO “O PASSADO: MODOS DE USAR“, DA AUTORIA DE ENZO
TRAVERSO E PUBLICADO PELAS EDIÇÕES UNIPOP. DECORRERÁ UMA CONVERSA COM ENZO TRAVERSO, ELISA LOPES DA SILVA E MANUEL DENIZ SILVA.
*******
RESUMOS DAS COMUNICAÇÕES: